sexta-feira, 24 de novembro de 2017

QUADRA DO DIA

Finalmente, a chuva prometida!
Com ela, somam os acidentes,
De muita chapa batida,
Por faltas imprevidentes!

LEIS POUCO JUSTAS

Quando lhes dá jeito
Haverá continuidade
A um mal já antes feito.
Não será, novidade!

Então, revogar porquê
Se o cofre, recheado
No acumulado se vê?
Nada deve ser mudado!

No continuar
É sempre a somar!

MAU PENSAR

Mal de quem pensa
Que o mundo é sua pertença.
Mas há tantos assim! ...
Olham só o seu umbigo
E mesmo que haja perigo,
Julgam-se, nunca ter fim!

É TÃO SIMPLES!

"Onde há fumo
pode haver lume"!

Com tal frase se assume
Uma ideia de prevenção.
Deixar o brando costume
E atacar, sem contenção!

Assim queiram os mandantes
No cortar grandes males
E nada será como d'antes,
Em, "Maria não te rales"!


O DESPERTAR DE ÁFRICA

África saiu da letargia.
De repente, quem diria?!
Dois grandes dizem adeus
Às ditaduras que criaram.
Quantas vidas sacrificaram
Nos seus mandatos, ateus?

Será o começo de um fim?
Nada mais ficará assim?
É que há mais ditaduras.
Milhões de sacrificados
Para que senhores enfeudados,
Vivam, como más criaturas!

África parece acordar
E todos devemos ajudar!

QUADRAS EM TARDE DE CHUVA

O mundo está mudado
E quem o mudou assim
Por isso será culpado.
Não me culpem a mim.

Três vezes nove
Vinte e sete
Vai ver se chove
Antes que seque.

Escrevo que me desunho
É forma de estar vivo
Quero deixar testemunho
Nunca ficarei inactivo.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

QUADRA DO DIA

Chorar o leite derramado
Não o repõe no vasilhame
Tal como caldo entornado
Não volta a quem o chame!